Consultório Largo do Machado:
Largo do Machado, 54/1106
(Flex Center)
Central de agendamento
Consultório da Barra da Tijuca:
Av. Jorge Curi, 550 / sala 327
(Centro Médico do Americas Medical City)
Tel.: 3444-5927 ou Central de agendamento
Consultório de Ipanema:
Rua Visconde de Pirajá, 430/806
Tel.: 3205-7035 e 96424-5090 ou
Central de agendamento

© Copyright 2015 por Domingos Bica - Urologia Pediátrica

CRIANÇA COM PÊNIS PEQUENO
" Doutor, o que está errado com o pênis do meu filho? Ele nunca parece exteriorizado e o do seu irmão é normal. "
Uma genitália masculina de tamanho inadequado na adolescência tem um enorme impacto no desenvolvimento psicossexual. A avaliação precoce e tratamento adequado por uma equipe especializada é fundamental para minimizar esse grande problema.
 

Dentro deste espectro relacionado a um menor tamanho peniano, podemos ter:

 

  • Micro pênis (verdadeiro) – condição rara, na qual o bebê apresenta um pênis de aspecto e estruturas normais, porém de tamanho muito menor que o normal para a sua faixa etária. Normalmente, num recém-nascido a termo o pênis mede entre 2,8 a 4,2 cm ligeiramente estirado da ponta da glande ao osso pube. Quando menor que 1,9 cm é considerado micro pênis.
  • Pênis embutido – o pênis poderá parecer menor que o tamanho para a idade se o menino apresentar uma maior quantidade de tecido gorduroso na região supra púbica. Algumas vezes, pode levar a um erro diagnóstico com relação ao micro pênis. O tamanho do pênis é normal, porém a gordura local impede a visualização completa do mesmo. A queixa geralmente surge numa idade mais tardia. Geralmente, os meninos apresentam obesidade.
  • Pênis sepultado (“buried penis” ou “concealed pênis”) -  malformação na qual o pênis está “escondido” abaixo da pele da bolsa escrotal, períneo, abdome inferior num tecido subcutâneo usualmente espesso.
  • Fusão peno escrotal (“webbed pênis”) – malformação na qual a face inferior do pênis está “colada” à bolsa escrotal. Existem graus variáveis desta fusão.
  • Transposição peno escrotal – malformação na qual a bolsa escrotal se implanta acima da base do pênis.
  • Pênis pequeno – condição na qual o pênis tem um tamanho abaixo da média esperada para a idade, porém dentro da faixa de normalidade.

 

Qual a causa do micro pênis?

 

O desenvolvimento genital é dependente de uma sequência de eventos que são determinados principalmente pelos hormônios e cromossomas. Uma falha na produção suficiente de andrógenos (hormônios que produzem o desenvolvimento genital masculino), ou se o organismo não responde a estes hormônios o desenvolvimento genital será afetado. O micro pênis é atribuído a uma insuficiência androgênica durante o desenvolvimento fetal.

Como fazer o diagnóstico de pênis pequeno?

 

O diagnóstico é feito através do exame físico cuidadoso pelo Urologista Pediátrico, no qual irá fazer a mensuração correta do pênis, avaliação dos testículos e bolsa escrotal. Os valores são lançados em gráficos específicos do desenvolvimento peniano e puberal.

Qual o tratamento do micro pênis?

 

Quando o diagnóstico de micro pênis for efetivamente estabelecido a abordagem deverá incluir uma equipe especializada e multidisciplinar (Pediatra, Urologista Pediátrico, Endocrinologista, Geneticista e Psicólogo). Um pênis muito pequeno traz impacto devastador no espectro psicológico e físico. Antigamente, esta condição era tratada com desordem do desenvolvimento sexual e a opção mais utilizada era a transformação da genitália masculina em feminina. Não houve evidência de sucesso satisfatório e foi observada uma alta incidência de desordem de identificação de sexo. Hoje a reversão de sexo não é mais considerada como escolha de tratamento para o micro pênis. A terapia hormonal pode estar indicada para algumas destas crianças para estimular o crescimento peniano. 

Qual a conduta para o pênis embutido?

 

Geralmente o controle da obesidade irá resolver esta condição, não precisando de tratamento cirúrgico. Estes meninos devem ser seguidos por um Urologista Pediátrico para acompanhamento do desenvolvimento genital.  O uso de hormônio está geralmente contraindicado.

Qual o tratamento dos meninos que apresentam pênis sepultado, fusão peno escrotal ou transposição peno escrotal?

 

Por se tratarem de malformações congênitas não regridem espontaneamente e irão requerer tratamento cirúrgico dependendo do grau de extensão da mesma. O diagnóstico é estabelecido nos primeiros meses de vida e quando, indicada a cirurgia é realizada precocemente. Apenas profissionais com experiência em reconstrução de genitália estão habilitados a corrigir estas malformações de forma satisfatória. 

O que fazer para os meninos com pênis pequeno?

 

O primeiro passo importante, é o diagnóstico correto pelo especialista. Estes meninos devem ser monitorados semestralmente para mensuração do canal de desenvolvimento peniano. Não se recomenda o uso de hormônios nos meninos pré-púberes, com rasíssimas exceções. No início da adolescência, conforme os achados clínicos e laboratoriais poderá ser necessária suplementação hormonal criteriosa.